capas decio 9.jpg

O SR. DÉCIO LIMA (PT-SC) pronuncia o seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras Deputadas e Senhores Deputados, venho a esta tribuna comemorar mais um resultado positivo: em janeiro o mercado formal de trabalho brasileiro gerou 29.595 empregos formais, correspondendo a um crescimento de 0,07% em relação ao estoque de empregos de dezembro de 2013.

O resultado é superior ao ocorrido em janeiro de 2013, quando foram gerados 28.900 empregos, sendo o sexto mês consecutivo com desempenho favorável, se comparado ao mesmo período do ano anterior.

O saldo de janeiro foi oriundo de 1.778.077 admissões e de 1.748.482 desligamentos, ambos representando o segundo maior resultado para o período. Nos últimos 12 meses foram criados 1.045.848 postos de trabalho, equivalentes à expansão de 2,64% e no período de janeiro de 2011 a janeiro de 2014, um total de 4.511.820 postos de trabalho foram gerados, representando um crescimento de 10,24% sobre o estoque de dezembro de 2010.

As informações são do Cadastro-Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados na última quinta-feira, 20 de fevereiro, pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Os dados de janeiro ressaltam a continuidade do movimento de expansão do emprego formal no país, ainda que num ritmo de crescimento menor que os anos anteriores. A expectativa, segundo o MTE, é que o país gere 1.4 milhão de empregos este ano.

O Estado de Santa Catarina se destacou dos demais gerando 18.317 postos (0,92%). A região Sul ficou em evidência, pois gerou 39.892 postos (+0,54%), seguida da região Centro-Oeste que criou 15.480 postos de trabalho e obteve crescimento de 0,49%.

Em SC, os setores que mais contribuíram foram: Indústria da Transformação (+7.372), Agropecuária (+7.742), Serviços (+3.862) e Construção Civil (+3.251).

No ranking das 30 maiores cidades de Santa Catarina, Fraiburgo foi a que mais gerou empregos com carteira assinada com total de 2.248 postos de trabalho. A minha querida Blumenau (+1753) e Joinville (+1104) ficaram respectivamente com o 2º e o 3º lugar. Florianópolis gerou 633 empregos e ficou em 5º lugar. No oeste catarinense, Chapecó conquistou a 7ª posição com mais 452 empregos formais.

Estes dados são motivos para combater a onda de pessimismo que a oposição ao governo Dilma Rousseff tenta emplacar. Os números mostram que a economia vai bem e que o Governo Federal tem feito o dever de casa, que é o de valorizar a industria nacional, gerando emprego e renda aos brasileiros.

Era o que tinha a dizer. Gostaria, Sr. Presidente, que este meu pronunciamento seja divulgado pelos Anais de Comunicação desta Casa de Leis.