capas decio6.jpg

O Sr. DÉCIO LIMA (PT-SC) pronuncia o seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, boa tarde! O Governo Federal iniciou no último dia 10 a campanha de vacinação contra o vírus HPV, que pode causar o câncer de colo de útero. O público-alvo são meninas com idade entre 11 e 13 anos.

O HPV é a sigla em inglês para Papilomavírus Humano, vírus responsável pela doença sexualmente transmitida mais comum no mundo, causando tumores benignos e malignos.

Segundo o Ministério da Saúde, existem mais de 100 tipos de HPV sendo que 16 têm potencial para causar câncer. Estima-se que mais de 70% das mulheres entrarão em contato com o HPV ao longo da vida.

Neste ano, a população alvo da vacinação contra HPV serão adolescentes do sexo feminino na faixa de 11 a 13 anos. Em 2015, serão vacinadas as adolescentes na faixa etária de nove a 11 anos e, a partir de 2016, as de nove anos de idade. Cada adolescente deverá tomar três doses para completar a proteção, sendo a segunda seis meses depois da primeira, e a terceira, cinco anos após a primeira dose.

O Ministério da Saúde afirma que a vacinação é uma ferramenta de prevenção primária e não substitui o rastreamento do câncer de colo do útero em mulheres na faixa etária entre 25 e 64 anos. É importante manter a realização do exame preventivo (Papanicolau), pois as vacinas protegem apenas contra dois tipos de HPV que provocam câncer, responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer de colo do útero.

A vacina pode ser administrada simultaneamente com outras do Calendário Nacional de Vacinação, sem interferências na resposta de anticorpos a qualquer uma das vacinas. Quando a vacinação simultânea for necessária, devem ser utilizadas agulhas, seringas e regiões anatômicas distintas.

Em uma semana Santa Catarina vacinou 36.549 meninas contra o HPV. Isso corresponde a 23.21% da meta, que é atingir 158 mil meninas entre 11 e 13 anos. A doença é a terceira entre a população feminina do país, atrás do câncer de mama e do colorretal, e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil.

A primeira etapa da vacinação ocorre em postos de saúde e em escolas municipais e estaduais. Nos postos, a vacinação entrou para o calendário e ficará disponível por tempo indeterminado. Em relação às escolas, cabe às prefeituras agendar a vacinação e divulgar as datas aos pais.

As meninas que tomarem a primeira dose ainda nesse mês receberão a segunda em setembro e a terceira apenas em março de 2019.

Esta é mais uma ação do Ministério da Saúde em favor da saúde do povo. Esperamos que os pais entendam a importância de vacinarem suas filhas. Vamos deixar o preconceito de lado e cuidar das nossas crianças.

Gostaria, Sr. Presidente, que este meu pronunciamento seja divulgado pelos Anais de Comunicação desta Casa de Leis. É o que tenho a dizer.

Muito Obrigado!