capas decio 9.jpg

O Sr. DÉCIO LIMA (PT-SC) pronuncia o seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, boa tarde! Pesquisa Datafolha divulgada no último sábado (5), pelo jornal “Folha de São Paulo”, mostra que a presidenta Dilma Rousseff (PT) teria 38% das intenções de voto e venceria no primeiro turno, caso ela tivesse como adversários o senador Aécio Neves (PSDB-MG), o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) e mais oito candidatos de partidos menores.

No cenário mais provável da disputa, a presidenta Dilma Rousseff está 12 pontos à frente da soma de seus dois principais adversários, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o ex-governador Eduardo Campos (PSB-PE).

O instituto entrevistou 2.637 pessoas em 162 municípios nas últimas quarta (2) e quinta (3), com margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Em Santa Catarina, a presidenta Dilma também liquidaria a fatura no primeiro turno, com intenção de voto entre 39 a 42%.

Os catarinenses sabem reconhecer a importância de programas estruturais, implantados por este governo, como a tão sonhada duplicação da BR-470, a construção de casas do Programa Minha Casa, Minha Vida, a ampliação dos Portos e a liberação dos kits de máquinas agrícolas aos municípios com menos de 50 mil habitantes. Muitos prefeitos afirmam que nunca receberam tamanha atenção do Governo Federal como estão recebendo agora.

Hoje, mais uma pesquisa divulgada pelo Jornal Zero Hora mostra a presidenta à frente de outros pré-candidatos no Rio Grande do Sul, com 43% das intenções de votos dos eleitores do Estado, percentual suficiente para vencer no primeiro turno. Em segundo lugar vem Aécio Neves (PSDB) com 21% e, em terceiro, Eduardo Campos (PSB) com 8%.

O governo da presidenta Dilma também foi considerado ótimo e bom por 42% dos eleitores, regular por 34% e ruim ou péssimo por 23%, enquanto 1% não respondeu. A maioria dos entrevistados (54%) aprova o desempenho da presidente, contra 41% que desaprovam e 5% que não responderam. A nota média atribuída a Dilma foi de 5,6, numa escala de zero a dez.

O fato é que o Brasil não pode retroceder. Não podemos colocar o País nas mãos de pessoas que governam para a elite, para poucos. Muitos dos que não gostam do governo do PT eram beneficiados no passado por políticas elitizadas.

O País teve um enorme avanço no quesito desenvolvimento humano nos últimos 10 anos como nunca teve anteriormente. O PT governa para a maioria e cumpre o papel de pensar naqueles que por tanto tempo foram desfavorecidos.

É o que tenho a dizer. Muito obrigado Sr. Presidente. Solicito que este meu pronunciamento seja divulgado nos Anais de Comunicação desta Casa de Leis.