capas decio 13.jpg

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, Blumenau e o Vale do Itajaí vivem um momento único, com a duplicação da BR 470, que avança com a abertura de novas frentes de trabalho e o processo de desapropriação de aproximadamente 1.560 imóveis às margens da rodovia.

Uma obra que merece destaque, Senhor Presidente, há muito tempo esperada pelos catarinenses e que vai estabelecer um novo paradigma de mobilidade humana na região, promovendo a expansão do sistema rodoviário e a melhoria do tráfego. Mais do que isso, significa preservar a vida dos milhares de catarinenses que diariamente circulam por esta rodovia. Em média, 35 mil veículos por dia transitam nesse trecho, o mais conturbado de toda a BR 470.

Esta é uma grande obra estruturante em Santa Catarina, rodovia muito bem definida pela própria Presidenta Dilma como a espinha dorsal do Estado. A ansiedade com a duplicação da BR 470 é grande, colegas deputados e deputadas, afinal, são mais de 20 anos de promessas. Mas, a despeito dos incrédulos e críticos de plantão, a obra está acontecendo, um investimento de cerca de R$ 1,5 bilhão do Governo Federal, através do PAC 2.

Juntamente com a nova superintendência do Departamento Nacional de Infraestrutura (DNIT), em SC, estamos realizando audiências mensais com o intuito de fiscalizar o andamento das obras e apresentar os resultados à comunidade.

Paralelo ao processo de desapropriações, a obra segue com novas frentes de trabalho no Lote 3, entre Gaspar e Blumenau, e a contratação, até o final de março,  da empresa que duplicará o lote 2, entre a divisa Luis Alves/Ilhota a Gaspar. Até o final de abril também está prevista a conclusão do canteiro de obras onde será instalada a fábrica responsável pela produção e estocagem de vigas e pré-moldados que serão utilizados nas quatro pontes e 15 viadutos previstos nos 28 quilômetros dos lotes 3 e 4 da BR 470. Quando em plena atividade, a unidade contará com 80 pessoas trabalhando na produção e outras 120 na instalação das vigas e pré-moldados.

A duplicação dos primeiros 74 quilômetros da BR 470, entre Navegantes e Indaial, está dividida em quatro lotes, e, além da pista duplicada, compreende também a implantação de 64 quilômetros de ruas laterais, 69 quilômetros de ciclovias e calçadas, viadutos, pontes e passarelas. Os recursos são do Governo Federal, através da segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2).

A duplicação da BR 470 é um compromisso da presidenta Dilma Rousseff com Santa Catarina e, mais do que nunca, sempre acreditei nessa importante obra.

Era o que tinha a dizer.
Muito Obrigado!